12 de fevereiro de 2014

À ESPERA



Desejei que parasse meus passos
[constante reflexão sobre letras hermanizadas]
e me desse o gosto de sua nuca
ofuscada pelos fiapos
passivos a toda forma de querer,
mas aguçantes da minha vontade

Então,
vem e me mostra
a linha de costa nas tuas vértebras
pintadas [as costas]
aleatoriamente
com tudo cor cobre coberto

Corando-me
na descoberta do como será
antes de partir pra /Bach/.
           
                                               20/10/04

Nenhum comentário: