12 de fevereiro de 2014

AUSÊNCIA



Alado
fita-me
no constante despir incompleto
do corpo que ainda crê
no tremor além da carne
subjugado por Afrodite

Interrompo o ato não consumado
paro me reencontrando
pois não há dúvidas
e sim a necessidade do espiritual
mais saciante do que qualquer relação carnal

Portanto, sem senti-lo
prefiro o sono às respirações ofegantes
desprovidas do odor uno
interligante dos cosmos e corpos
sobre a cama acalentada
pelo burburinho da Rua da Lama.
                                   12/09/04

Nenhum comentário: