30 de abril de 2007

SINTA


{ligiaprotti}
Senti-la sem
tira 
agora sim
a serpente cintila 
sequiosa sobre mim
sinta 
sibila

23 de abril de 2007

Sol poente. Tiro do chão uma pedra. Devaneios do inconsciente. É vã minha preocupação materna. Descaso palavras abertas. Crianças crescendo amputadas, retorcidas. Ainda assim, tudo me força a gerar vida.

Me mima, me mima. Marquei um encontro de sílabas com a jia. Todas as mulheres são capazes do sexo. Todas dignas de uma transa. Até mesmo as sem membros, absurdamentes deslocadas. E, assim como o gozo de saber que alguém lhe observa, caminho à procura de mim mesma.



17/04/07

10 de abril de 2007

ABUELA

foi aquilo tudo
junto
naquilo que é tudo
junto foi
foi que tudo que é
aquilo, foi junto
e eu, era filha neta menina

abril/2006

{ligiaprotti}
Me perco e me divago
porque não sou o que querem que eu seja

Sou dos mamilos enrijecidos à palavra que me emociona




19/03/06