12 de agosto de 2007

auto-retrato {ligia protti}

Dei pra escrever-te assim, nua, lápis em punho, feito seu pau rijo quando em contato com a minha coxa.

Dei pra escrever-te louca, exalando fogo pela boca, capaz de incendiar a Torre de Babel que sustenta nosso ato.

Dei pra escrever-te assim, desse jeito, boba, sedenta pra gargalhar quando seu íntimo me invade.

Dei pra escrever-te sua, simplesmente porque dei-te e nada mais agora tem volta.

4 comentários:

Camila disse...

posso colocar o link do seu blog no meu? ah! os desenhos também são seus né!!! muito belo

Prezep disse...

Gostei muito dessas letras, na verdade, amei. Surrupio agora sua poesia para o meu blog, achei que tem tudo a ver com o desenho que vou postar. Se desaprova minha atitude, um consolo (calma, nem tanto): colocarei os créditos.
Ass. Prezepo e Prezepa

André disse...

Amém.

Túlio Carapiá disse...

Bom demais este texto! Pela primeira vez que vi ele estava la no xilaveca.

Abraços!