19 de novembro de 2008

/JE (T') AIME/

Compartilhar Dominique A. e a onipresença da fumaça que sai do incenso e se espraia por entre meus dedos. Pra te observar, me observando, perguntando, sem som, sobre os caminhos de dentro. Dois anjos e uma cama redonda. Pra te contar que na primeira transa vesti a roupa do dia do boicote ao prazer próprio. Puro prazer do contragosto. Boicote louco, com o qual, cada vez mais consigo dialogar, a fim de que vaze pra fora do inconsciente e, assim, eu vá longe, entretanto no mesmo lugar.

5 comentários:

Camila Bravim Silveira disse...

gosto quando se apaixona porque sei que verei novas poesias aqui!!!

lidia borgo disse...

amiga, sempre venho aqui conferir...constroe com as palavras muito bonito.

Rubiane disse...

Oi! lindo espaço....

Rodrigo disse...

Esse é um blog que sempre fico tempos sem visitar e me arrpendo sempre de ter ficado tanto tempo sem lê-lo.

Felipe Guasti disse...

Ótimo texto.
Essa cama redonda é o meu lugar de fuga onde com mais frequência eu me encontro.

Abraços
Felipe Guasti